sexta-feira, 15 de outubro de 2010

No Dia do Professor

Tenho muita sorte de fazer o que mais gosto. Sinto muito desejo e prazer em ensinar, os alunos e as alunas inteligentes que tenho aprendem devido ao próprio esforço e por alguma razão acham que aprendem por minha causa e algumas instituições também acreditam nisso e me pagam para que eu ensine. Nem relatórios, nem provas, nem reclamações de alunos anulam (embora às vezes mitiguem) o enorme prazer que é ensinar.

Obrigado nesse dia às três instituições que me proporcionaram esse prazer: ao CESUPA, à UNAMA e à FCAT. Nas três tive turmas maravilhosas, que me presentearam com alunos que se tornaram meus amigos, e alguns dos quais um dia serão meus colegas de profissão. Parabéns antecipado para esses também nesse dia!

6 comentários:

Fernanda disse...

André, preciso deixar algumas lembranças aqui, em resposta à sua postagem.

Gostaria de ressaltar o seu talento nato para o ensino, temperado com todo o seu gosto e satisfação em ensinar. Pude acompanhar seu trabalho de perto como sua monitora, e me deixou impressionada e comovida com todo o trabalho e dedicação que deu a cada atividade acadêmica e aos alunos. Mesmo quando essa dedicação se traduzia em dureza e rigorozidade. Tenho certeza de que todos aqueles que puderam e souberam aproveitar o tempo como seus alunos terão crescido mais por conta disso. Sei que considera ainda não ser um ótimo professor, mas acredito ser assim por conta do seu alto grau de cobrança e criticidade consigo mesmo. Mais que humildade, isso lhe confere o dom de não se satisfazer com o que já conquistou e buscar melhorar sempre. É um exemplo não só de mestre educador, mas como pessoa. Sem dúvida inspirou mutos estudantes, como a mim mesma, a conquistar mais e a ser melhor. E ainda trará inspiração a muitos outros, sem dúvida.

Desejo a você, meu amigo, sucesso e felicidades em sua vida. Muito obrigada por tudo. E obrigada pelo parabéns antecipado (rsrs)!
=)

Ricardo disse...

Eu vou falar o que já disse várias vezes, mas farei porque neste blog ainda não disse e quero registrar publicamente.
Eu não fui seu aluno regular: fui aluno de um curso de férias de dois meses. No entanto, ali eu decidi o que queria pra minha vida. Estou muito feliz hoje em dia e devo o empurrão inicial ao senhor. Obrigado mais uma vez e parabéns pelo grande dia do professor.

André Coelho disse...

Obrigado aos dois, Fernanda e Ricardo, que fazem parte dos alunos que me enchem de alegria na carreira docente e que serão meus futuros colegas de profissão. Vocês são verdadeiros exemplos a serem seguidos por outros alunos. Abraços!

Yúdice Andrade disse...

Querido André, talvez não saibas que não poucas vezes foste mencionado na sala dos professores. Impressiona a todos como, em tua juventude, pudeste reunir tanto conhecimento e habilidades de externar isso. Não sou, nem de longe, o único a te admirar.
Sem qualquer falsa modéstia, afirmo que meu cérebro não dispõe das aptidões necessárias para processar conhecimentos mais abstratos, como faz um bom filósofo. Eu me saio bem melhor com dados mais pragmáticos, o que me permite ter algum sucesso no Direito Penal, mas sempre sofri para enfrentar os grandes pensadores e deles extrair suas ideias centrais. Por isso sempre me admirei com a tua capacidade de ver e descrever aspectos cruciais de discussões, por vezes banais.
Sem nenhum favor, afirmo-te que gostaria de ser teu aluno. Inclusive porque meus cursos de Filosofia na UFPA foram péssimos. Todos eles. Logo, nada aprendi. No máximo, o "só sei que nada sei". Por isso, ainda preciso de um mestre que encontre em mim algum talento para o raciocínio.
Sob estes argumentos, louvo o professor que és.

André Coelho disse...

Yúdice, obrigado pelo comentário e pelo elogio. Nem sei bem o que lhe dizer em resposta. Bom, primeiro acho bom colocar os eventuais comentários positivos a meu respeito na sala dos professores na conta dos queridos colegas de profissão e ex-alunos com quem formei amizade, de modo que se trata mais do juízo bondoso dos que me querem bem. Segundo, quero lhe dizer que a recíproca é totalmente verdadeira: Também o admiro bastante e gostaria, com certeza, de ter sido seu aluno em Direito Penal, até porque minha experiência com essa disciplina foi um misto do encanto que as leituras me proporcionavam e do desespero que as aulas e provas excessivamente legalistas me causavam. Sei que com você eu teria podido integrar melhor as soluções pragmáticos dos casos com as teorias penais mais gerais e abstratas, dando à reflexão juspenal um status verdadeiramente sólido e crítico. Não seria nada mal um projeto do CESUPA com aulas e turmas de professores para professores, não é mesmo? Eu me matricularia no teu com certeza. Abraço, meu amigo.

Pedro Camejo disse...

Prezado André,

Sou estudante do curso de Direito da UNAMA e sinto que venho desenvolvendo um gosto real pela filosofia geral e do direito. Tem algum tempo que visito seu blog, e gostaria de parabenizá-lo por ele. Também gostaria de poder entrar em contato (se for possível) via email (idem) apenas para sugestões sobre a área, e que isso possa me ajudar a caminhar no campo da filosofia.

meu email: pedro.camejo@gmail.com

Abraço e até mais.